quarta-feira, julho 26, 2006

Pré-esboço


Peguei na minha caneta e num pedaço de papel. Ao colocar a caneta nele, a minha mão começou a dançar.
Só depois percebi que não eram os músculos que a comandavam mas sim os meus pensamentos em catadupa.
Ao olhar para o papel, não vi palavras mas sim o retrato de um eu que desconhecia.
Não foi uma simples visão. Foi uma revelação mágica.
Foi a magia da escrita.
Escrever é um dos sistemas mais simples e mais profundos para tornarmos tudo claro dentro de nós e para transmitirmos a memória das nossas existências. E é precisamente por esse valor de memória e de conhecimento que a escrita deve ser encorajada e protegida.
O que é que fica depois de horas e horas de conversa ao telefone? À parte a factura a pagar, quase nada. É tão diferente o prazer de ter na mão uma carta, uma reflexão, a recordação de uma pessoa querida. E são tão importantes esses testemunhos, quando as pessoas queridas já não existem.

Susanna Tamaro

1 comentário:

Vera disse...

Olá minha linda! Estou aqui neste cantinho maravilhoso... nem sei há quanto tempo! Hoje resolvi ver tudo como se nunca tivesse visto. E tu tens realmente magia nas tuas mãos, magia nas tua palavras!
Estou cada vez mais encantada!
Beijo grande