sábado, setembro 09, 2006

A ilusão


Hoje acordei em mais um dia de ilusão
Num frio estático pus meus pés no chão
Esqueci-me de tudo o que aconteceu ontem
Lembro-me apenas que tenho de fazer de conta
Que estou num lugar onde não estou
Um pequeno sabor a hipocrisia me tomou
Adormeço meus erros e embora estejas perto de mim
Continuas tão distante que não consigo afastar-me do fim
Vejo-te a guardar tudo dentro de ti
De olhos abertos vejo a dor que senti
Magoei-te e magoas-me com prazer
Caí no chão sem saber o que fazer
Mas tudo continuará sempre igual
Porque quando as coisas correm mal
Finjo que o passado não é real
A linha entre o amor e o ódio é apenas formal
Agora sou prisioneira das minhas memórias
Apenas um fantasma de sensações contraditórias.

2 comentários:

Sophia disse...

Será vermelha uma rosa no escuro? Parabéns pelo belissimo blog!

Vera disse...

As tuas palavras fascinam-me! Só um ser absolutamente fantástico escreve desta forma verdadeiramente sublime!