quarta-feira, setembro 27, 2006

O pôr do Sol


Uma bola vermelha de raios incandescentes
Flamejava no céu colorindo-o de tonalidades resplandescentes.
Rosas, violetas, encarnados,
Laranjas e dourados
Pintavam uma tela
De todas a mais bela.
Esses laivos lascivos levaram o horizonte
A ser do amor uma translúcida fonte.
Enfeitiçada por aquele firmamento em chamas,
Ouvi-te murmurar ardentemente que me amas
Mesmo sabendo que estavas longe daqui,
Mas toda aquela magia inflamada me lembrou de ti.

6 comentários:

Vera disse...

Minha linda, será que me vou repetir dizendo que este teu poema está lindo? Absolutamente encantador e cheio de magia! Adoro as tuas palavras!
Beijo grande

Mena disse...

estive a ler os seus poemas... são simplesmente lindos..amei...continue a escrever os seus pensamentos desta forma harmoniosa e repleta de encanto.
que Deus continue a te inundar com as suas bençaos.
jokinhas doces
Agua_viva..

João Filipe Ferreira disse...

gostei muito muito deste poema..
soube tão bem ler...e hoje não estando nos meus dias, gostei mt mt de me distrair um pouco lendo estas obras primas:)
um beijinho enorme com promessa de que voltarei...

Fernanda disse...

"Ouvi-te murmurar ardentemente que me amas, mesmo sabendo que estavas longe daqui"

Acho que arrancaste isso das minhas entranhas!! Me li nesse trecho...
E obrigada pelo elogio. Mas você sim é que escreve lindamente, com poesia e maestria!!!

Bjs

Nilson Barcelli disse...

Vi esta página.
Gostei de te ler. Escreves bem, és intensa e romântica. Parabéns.
Um beijo.

Márcia(clarinha) disse...

Querida amiga
quanto amor derramas nas palavras me fazendo leve e feliz em saber que dentro de um ser cabe tanta generosidade.
Lindos versos.
feliz noite flor
beijossssssssss