sábado, setembro 09, 2006

A imaginação


Que tristeza
De morrer
Sem a certeza
De saber
Se fui uma partícula
De vida
Uma razão minúscula
Conseguida

Que solidão
Não conhecer
O que o coração
Pode ver
No mundo adulto
Isolada
Fujo do tumulto
Desolada

Que incerteza
É viver
Só na pobreza
De sobreviver
Na imaginação
Outra vez criança
Rio sem hesitação
Com confiança

Que alegria
De acreditar
Na fantasia
E brincar
O absurdo do mundo
Já esquecer
Num sono profundo
De novo adormecer

3 comentários:

John Lemmos disse...

Olá Angela.
Obrigado pelo comentário no meu blog.
Não vou dizer que li o teu blog todo porque estava a fazer demagogia...mas do que li gostei.
Serei um visitante atento.

**beijos**

Concurso Poemas e Poesias disse...

Olá obrigado por participar do
Concurso Poesias e Poemas.
Selo de participante ok no blog.
Boa sorte.
Beijos

Vera disse...

Estás cada vez melhor!
Como gosto de me refugiar aqui no teu cantinho!
Beijinhos!