sábado, outubro 28, 2006

O sabor



Bebo a tua doce poesia
Que desliza, me extasia,
Na minha boca sedenta
Da tua beleza ardente.

No meu corpo inebriado
Escorre o prazer letrado
Das tuas rimas de candor,
Dos teus versos de esplendor.

E se a minha boca tocares,
Com teus lábios me beijares,
Provarás ainda o sabor
Que deixaste do teu amor.

23 comentários:

Delfim Peixoto disse...

Angela, nem sei como comentar...
Se alguem a tua boca tocasse, sentiria o sabor , dele, que tu lhe deste! Logo o sabor que sentires, será o dele, com o teu!
Lindo, simplemente... e como sempre, inspirador!
bjs ternos no teu coração e doces... na tua alma!

Delfim Peixoto disse...

Eu sorvo as tuas palavras, qual fonte de inspiração
Eu sorvo as tuas imagens, quais quadros do Louvre...
Eu imagino os teus beijos, e sei que os teus poemas têm o teu sabor...
beijos doces no teu coração ....
beijos ternos na tua testa ... devagar, mas mesmo muito devagar,
beijos ternos na tua alma, cheiade luz

solempoesia disse...

E a tua poesia irradia mais calor que eu... deixa que a Lua se inspire em i e eu farei um eclipse acontecer

Luna disse...

Amor uma das palavras mais sublimes, que deve ser guardada numa redoma de cristal só acessivel as almas cristalinas.
beijokas

Claudia Perotti disse...

Que delícia de texto, querida!
Tenha um excelente final de semana!

Beijinhossssssss

Vera disse...

Que lindo! Que romântico! Como eu adorei!!!
Ainda por cima ao som desta música maravilhosa! E com a frase, tão verdadeira, de Platão!
"Provarás ainda o sabor
Que deixaste do teu amor." Absolutamente lindo!
Um beijo enorme!
Adorei e adoro-te!

Marco António disse...

A poesia é sentida na pele que se toca, no sabor de cada palavra escrita que voa através o som do vento que sai de cada letra, de cada verso até alcançar a alma dos lábios de quem esteja a ler A poesia.

Marco António

farinho disse...

Mágico, o seu poema. Lindo como sempre. Beijocas.

In Loko disse...

Humm que tentação Ângela... sou mesmo capaz de encostar meus lábios aos teus para provar o tal sabor ;)... gostei da tua divagação!Beijinhos

DE PROPOSITO disse...

Um poema onde se nota o fogo de uma paixão.
Fica bem.
Beijinhos.
Manuel

Ricardo Rayol disse...

É a maior verdade, poeta e bobão rs...

Tati disse...

algo de tristeza nesse lindo poema...

bjs

João Filipe Ferreira disse...

que doce e saboroso poema...lindo como sempre...hj senti necessidade em te ler...precisava de beleza no meu espirito:)
parabens poetisa fantastica
um beijinho enorme

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Angela:

Vim conhecer o teu blog desde o Arauto.
Gostei muito. Tens muita sensibilidade... o que sensibiliza qualquer um.
Virei visitar-te regularmente.
Um beijinho,

Cadinho RoCo disse...

No salivar do beijo o caloroso sabor fogo prazer.
Cadinho RoCo
www.balaiodeminas.com.br

Carlos Henriques disse...

Olá querida Angela.
Embora já sejamos conhecidos do "Tudo o que disser será maravilhoso" espero que visites este.
Obrigado pela tua poesia. Obrigado obrigado (nem imaginas o bem que me faz.

**beijos**

Betty Branco Martins disse...

Querida Angela

Um poema repleto de "sabores-sentir[es]"

Lindo

Beijinhos

Escuta o teu mundo... disse...

Poema muito lindo. :)
bj

Márcia(clarinha) disse...

Que delicioso é o sabor do amor nos lábios deixado...
Que saudade de vir me encher de belas palavras, pedoe minha ausência querida.
linda semana flor
beijosssssssssss

Vera Vieira disse...

Angela, como vc consegue sentir assim?
Pensando bem... esse sabor, é o sabor do amor, que fica, mesmo não estando! Só acho que o sabor d amor temde ser bem saboreado!
Porque vc é assim, alegre, presumo que no fundo,a sua boca esteja sedenta, mas deixe que a fonte chegue aos seus lábios..
e bjs... hoje assim com um sabor especial de quem começa a gostar muito de vc,
Vera Vieira

pensamentos_vagabundos disse...

mito beleza nessas palavras...
beijo vagabundo

Valeria disse...

Poesia repleta de sensibilidade mas tb com um grande toque de saudade , lindo !!!!
Grande beijo e um ótimo inicio de semana p vc ...

mitro disse...

Quem dera que o amor fosse essa taça doce!

Mas... no final, (quando acaba, ou nem começa) tem um travo amargo, amargo como o absinto!